Home » » Marido que gosta que a mulher coloque o dedo no ânus dele tem fantasia de ser penetrado com pênis de silicone.?

Marido que gosta que a mulher coloque o dedo no ânus dele tem fantasia de ser penetrado com pênis de silicone.?





Marido que  gosta que a mulher coloque o dedo no ânus dele tem fantasia de ser penetrado com pênis de silicone.?







É uma **** idiotice as pessoas dizerem aí que quem faz isso é gay ou boiola...
O que acontece é que todo ser humano tem zonas que dão prazer, e a região anal tem muitos nervos e pode ser muito prazerosa tanto no homem quanto na mulher, desde que seja feito de forma correta.. Nada a ver com sexualidade, ser gay é sentir atração pelo mesmo sexo, nada a ver com atos em que o homem e sua mulher vivem na sua intimidade.. . São apenas novas formas de se sentir prazer que o casal descobre sozinho .

Conheci    uma pessoa
 que foi fazer um exame no de prostatá     aquele de próstata bem o medico foi examinar e ele gozou na mesa de exames ele ficou morrendo de vergonha mas o medico urologista disse que é normal pois na região anal tem nervos que ao serem tocados a pessoa sente muito tesão e chega a ejaculação mas não quer dizer que ele seja gay!!!!!!!!

sentou na cama e começou a me chupar, indicando o desejo de continuar até mamar o meu leitinho, me lambeu atrás e me lingüou com língua de gato, bem fundo, lubrificando a entrada para penetrar-me com seus dedos, o que ela sabe que acelera meu orgasmo e faz a minha ejaculação sair em jatos mais fortes em direção ao seu rosto e boca sedenta de sêmen.

Mas eu desejava muito meter nela e aí, deitei-a ao meu lado, rolei sobre ela e a penetrei pela frente, abraçando-a com a mão direita segurando seus cabelos, a outra por baixo da bundinha, e com esta comecei a penetrá-la atrás inicialmente com um dedo. Receptiva, sugeriu mais um dedo, levantando as pernas e se arreganhando para aproveitar mais fundo e melhor. Eu me ajeitei, para minha mão esquerda chegar mais fácil em seu cuzinho, e assim poder ir mais fundo, e então introduzi o segundo dedo, enquanto a penetrava pela frente e sentia que ela já curtia mais um orgasmo.

Aproveitando a excitação, lubrificação e relaxamento anal, eu introduzi um terceiro dedo atrás dela e sussurrei em seu ouvido:

- É como se estivesse dando para dois ao mesmo tempo, recebendo dois paus, um pela frente e outro por trás... Gosta assim? E mexi dentro de sua bundinha, ao mesmo tempo em que penetrava a sua bocetinha enterrando bem fundo o meu pau.

A resposta veio com ela se rasgando toda na minha pica, se contorcendo em convulsão, rebolando a bundinha, tentando receber meus dedos ainda mais fundo. Então continuei a provocá-la e excitá-la, comentando:

- Eu metendo na sua bocetinha apertada enquanto o outro rasga seu cuzinho, pressionando meu pau mais ainda, e a minha putinha gozando pelos dois lados, recebendo leitinho quente e em jatos atrás, bem fundo e com muita pressão.

Neste momento veio um orgasmo forte e ela, descontrolada, gemia, com o corpo em convulsão, o interior da vagina mastigando meu pau loucamente, apertando-o, lubrificando-o e sugando-o; o cuzinho piscando em meus dedos, era um espetáculo de tesão e gozo. Logo em seguida eu gozei fartamente dentro dela, bem fundo e em jatos deliciosamente fortes, que ela também sentiu e recebeu com prazer e com a sensibilidade aflorada pelo tesão descomunal do momento.

Nós continuamos abraçados naquela posição, acariciando um ao outro e conversando sobre uma dupla penetração, como seria na real, o quanto excitaria a ambos; ela por ser penetrada em duas boquinhas sexuais que já lhes dão muito prazer em separado, quanto mais junto; e eu pelo estreitamento dos canais, tanto o anal quanto o vaginal, e com a excitação dela lubrificando e reagindo em convulsões e espasmos musculares em meu pau, além da situação em si., proporcionando maior prazer aos dois.

Daí então resolvemos comprar um brinquedinho íntimo, combinamos que seria um pênis artificial, de material imitando a textura humana daquele órgão, macio mas rígido o suficiente para a penetração, de tamanho médio e com a glande destacada, mais grossa do que o corpo do pênis, pois é esta diferença de proporção o que causa maior prazer na penetração, pelo atrito e descontinuidade da ação de fricção.

Naquele mesmo dia eu o comprei e, à noite, fomos pra cama cheios de tesão, e ávidos por experimentá-lo. É claro que lembrei de levar também um gel lubrificante, o que há tanto tempo já deixamos de usar no sexo anal, em razão de sua excitação e prática, que leva a uma lubrificação anal natural e suficiente, às vezes até excessiva.

Começamos a brincar com beijos e carícias com as mãos, chupadas e mordidas pelo corpo, em seguida comecei chupando a bocetinha dela e aos poucos fui introduzindo o brinquedinho na frente, enquanto estimulava o clitóris com a língua e dedava seu cuzinho, até sentir em minha boca o seu orgasmo delicioso e nos meus dedos, com seu cuzinho piscando e mordendo-os.

Aí ela se virou de bruços, me oferecendo a bundinha, enquanto eu mantinha o brinquedinho enfiado e socado em sua bocetinha. Com a minha pica entrei rasgando seu cuzinho já lubrificado, de uma só vez, do jeito que ela adora ser enrabada e, segurando-a pelos quadris, meti forte até gozar naquele canal estreito, enquanto ela manipulava com uma mão o brinquedinho dentro dela e gozava com enorme intensidade e convulsivamente várias vezes, com intervalos reduzidos. E o meu gozo veio forte, com meu pau apertado pela pressão do outro lado, todo preenchido pelo brinquedinho.

Nós rolamos na cama abraçados e nos beijamos, nos devorando um ao outro.. E assim ficamos alguns minutos, até que ela se levantou e foi ao banheiro se lavar levando o brinquedinho para higienizá-lo também. Em seguida me levantei e fui para o banho.

Na volta, recomeçamos a brincar com o pau amigo, como também chamamos o brinquedinho e, enquanto eu a penetrava na frente com meu pau, oferecia o brinquedinho para ela chupar, como se fosse outro homem a estar com ela, o que a deixou bastante excitada.

Então sugeri que ficasse de quatro e, enquanto eu metia em sua bocetinha, comecei a introduzir o pau amigo em seu cuzinho. Após introduzi-lo por completo, apoiei o brinquedinho na região acima do pau, dos pelos pubianos e passei a meter nela minha pica e o pau amigo ao mesmo tempo, no mesmo ritmo, aproveitando da contração anal natural, que o expulsava por si só, comigo enfiando-o de volta, num vai vem, entra e sai ritmado, segurando-a pelos quadris cada vez mais firme e com mais tesão.

Ela gozou muitas vezes e com muito gosto, e eu também, enchi-a com o meu prazer líquido e jorrado com muita pressão, bem lá no fundo.

Nova higiene e voltamos, agora para relaxar. Papo vai, papo vem, ela me ofereceu o brinquedinho, lambendo-o bem próximo à minha boca, confessando que ficaria muito excitada de me ver brincando com ele também. Eu então passei a lambê-lo, depois a chupá-lo, engolindo-o quase todo, como se fosse um pau de verdade e aí ela me pediu para mamar meu pau até a última gotinha, já que eu estava cansado e ela estava com a bocetinha e o cuzinho sensíveis e assados devido àquela brincadeira toda. Claro que topei, poder relaxar sendo chupado e sentir sendo mamado, me esvaindo em prazer em sua boquinha sedenta, para depois nos beijarmos gostoso e dividirmos o paladar e o cheiro daquele momento tão íntimo.

E ela começou a chupar meu pau com gosto e tesão, lambendo atrás do saco, no períneo, onde é delicioso sentir aquele calor da língua, abocanhando e mordiscando os testículos e chupando o saco todo de uma vez, linguando meu cu de vez em quando, lubrificando-o e preparando-o para dedá-lo, primeiro com um, depois com dois dedos, que, bem lubrificados, entravam e saiam deixando uma onda de prazer, e voltava a chupar o meu pau.

Até que, subindo pelo meu corpo e aproximando-se do meu rosto, me perguntou se podia usar o brinquedinho em mim. Eu, sentindo um tesão enorme, já nas alturas, topei na hora, mas pedi a ela que o lubrificasse bem com o gel, já que seria a minha primeira vez com algo maior que dedinhos femininos.

Ela então se sentou ao lado do meu corpo deitado de pernas abertas e abdômen para cima, dobrou-se em cima da minha pica, abocanhando-a toda em uma garganta profunda deliciosa, depois foi mais para baixo, onde com as mãos enfiava o brinquedinho lentamente em mim, e eu colaborava, relaxando , empurrando meu corpo contra o pau amigo; parando a penetração, contraindo o esfíncter anal, voltando a relaxar para ser penetrado mais fundo, controlando assim a penetração juntamente com a colaboração dela, que com calma e tesão, acompanhava excitada meu cu ser rasgado, como a responsável e observadora privilegiada ao mesmo tempo.

Uma vez lá dentro, começou o vai e vem devagar, e aos poucos foi aumentando o entra e sai, junto com um calor gostoso que sentia vir lá de dentro, entre o pau e o canal anal, provavelmente da próstata. Com a boca eventualmente me chupava e lambia, mas estava fascinada e excitada com a visão de me enrabar, e sentiu meu pau pulsando e soltando o líquido que sai antes da ejaculação, o meu cu piscando e se contraindo anunciou para ela o meu orgasmo chegando, ela rapidamente abocanhou meu pau e só o largou após degustar a última gotinha. Foi um gozo muito forte e diferente, com uma pressão incomum, e um orgasmo que veio de um calor intenso, mas gostoso e confortável ao mesmo tempo.

Largou o brinquedinho lá dentro, para que ele saísse naturalmente pela contração anal, sem me machucar, veio se deitar ao meu lado e me abraçar, nos beijamos e eu aproveitei para passar a língua como um rodo, nos jatos que escorreram pelo seu rosto. Assim, dividimos aquele prazer em forma líquida em beijos bem linguados e sem pressa.

Após me lavar e higienizar o brinquedinho, fomos dormir bem relaxados e abraçados em concha, mas antes de cairmos em sono, combinamos de comprar uma cinta apropriada, para que ela pudesse vestir o pau amigo como se fosse um homem, para que com as mãos pudesse se apoiar em meu corpo e simular uma penetração como eu faço.

Esta variação aumentou em muito meu tesão para o orgasmo//amei 
mais aquela puta  que dividia  comigo a sacanagem na cama //

  obs :conto mandado por aninimo


O fato é que tanto na mulher como no homem, a área do ânus tem terminações nervosas e constitui-se em área altamente erógena que, se estimulada e de forma consentida, pode e dá muito prazer, físico e sexual, a cada um que desejar aproveitar e sentir. E pode ser com o homem e sua parceira, praticando a inversão, ou como cada um desejar, sem deixar de ser heterossexual em sua mente e consciência, que é o que importa.
doutoram doutora do prazer 

 
Support : Copyright © 2015. erreoy griega - All Rights Reserved