Para algumas mulheres o orgasmo ainda é um mistério

                             Para outras, uma grande obsessão. 







Cada um de nós expressa a própria sexualidade de uma forma única. Conhecer cada centímetro do seu corpo e estar confortável com ele é a primeira etapa para ser uma boa parceira sexual e chegar ao orgasmo. A maioria de nós se preocupa com o corpo. E essas preocupações, às vezes, influem em nosso modo de nos sentir em geral e também sexualmente. É preciso encontrar tempo para um diálogo interior. Falar do que a impede de atingir o orgasmo do jeito mais prazeroso para você. Você conhece bem o seu corpo? Seus pontos fortes? Que tipo de toque a excita? Você aceita o seu desejo sexual com naturalidade? Quais são os seus limites sexuais? É importante responder essas perguntas. Procure se conhecer.Mas existe mesmo uma fórmula para se atingir o orgasmo? Felizmente essa resposta só você pode descobrir, pois cada mulher tem seu próprio jeito de sentir prazer.
Para isso o primeiro passo é deixar o pudor de lado, e encontrar tempo para se descobrir. Existem alguns
 exercícios para ajudá-la a se descobrir. Lembre-se você vai iniciar a descoberta do seu corpo. Procure tornar o ambiente o mais agradável possível. Você deve estar só e não se preocupar com nada. Desligue-se do mundo, pois este momento é só seu.

A descrição é quase sempre a mesma: a mulher atinge um pico de excitação, contrai o corpo e depois relaxa, como se estivesse numa montanha russa. Quem já atingiu um orgasmo, sabe o que 
essas palavras significam. 
Publicidade
Porém, algumas mulheres não sabem o que é isso - ou não se conseguem mais viver esta sensação... é a chamada anorgasmia, ou seja, ausência de orgasmo
A anorgasmia pode ser de três tipos: primária, secundária e situacional. A primária corresponde à mulher que nunca teve um orgasmo na vida, nem com parceiro e nem com masturbação. A secundária é quando a mulher passa a não ter mais orgasmos por conta de algum evento: morte de ente querido, vaginismo, traumas. "E a situacional é quando a mulher atinge o orgasmo em determinados momentos. Ela pode ter prazer com um parceiro e com outro não", explica a psicóloga e terapeuta sexual, . E garante: "93% das mulheres que já passarem pelo meu consultório não atingem o orgasmo por questões
A terapeuta conta que os índices de anorgasmia são encontrados em mulheres na faixa que vai dos 15 aos 25 anos. "A falta de orgasmo se deve nem tanto à idade, mas à inexperiência, à falta de conhecimento do próprio corpo, do toque para conhecer as próprias zonas erógenas. As mulheres não são educadas para isso, diferente dos homens, que desde meninos são instigados a ir atrás das mulheres, a se tocar", comenta a terapeuta.
Para a saúde, a falta de orgasmo não traz consequências negativas, mas para a qualidade de vida sim. "Cada caso é um caso, mas mulher anorgásmica costuma se sentir inferiorizada. Para reverter o quadro, antes de mais nada, é necessário se informar sobre o assunto. Se for uma anorgasmia secundária, deve tentar descobrir qual fato deu origem ao problema. 
A grande confusão que as mulheres fazem é em relação à intensidade do orgasmo. "O que uma mulher sente é diferente do que a irmã e a mãe dela sentem. Parece que o orgasmo da vizinha é sempre melhor do que o dela. Há muita fantasia em cima do tema e, muitas vezes, essas mesmas mulheres têm o orgasmo e não sabem nomeá-lo. Por serem inibidas demais, duvidam da própria capacidade de sentir prazer//
acha ainda que a visão da sexualidade nos dias de hoje pode ajudar a mudar este quadro. "a quantidade de mulheres anorgásmicas vai diminuir sim, mas por conta da liberdade que hoje elas têm para se expressar, de buscar ajuda, caso não atinja o orgasmo. Os homens começaram a ver com menos discriminação essas questões femininas".//hum   amores  machos  vamos dar  mais  orgasmos 
as suas   lindas 
beijinho     da      DOUTORA DO PRAZER 


 
Support : Copyright © 2015. erreoy griega - All Rights Reserved